Estou dando férias em tudo. Férias no amor, na escrita, no meu romantismo e em você. Cansei de ficar escrevendo vários textos pra você e de nada adiantar, cansei desse amor em que só eu amava, cansei de me importar com você, de correr atrás. Vou fazer do meu jeito agora. Se quiser ir, tchau. Se não, me conquiste.
K. Shibahara.  
Mas não existe recomeço sem um fim. E no final das contas, ninguém dá adeus, do amanhã não se sabe. Vai que um dia, numa determinada situação, em algum bar de esquina, nos encontraremos novamente? Nenhum amor é eterno.
Gabito Nunes.    
Escrevi sobre uma rã que encontrei no jardim, com uma das pernas presas numa cerca de arame. Não podia se soltar. Eu tirei a perna dela da cerca, mas mesmo assim ela não podia se mover. Por isso eu peguei ela no colo e conversei com ela. Disse que eu também estava preso, que minha vida também tinha ficado presa em alguma coisa. Conversei durante um longo tempo. Finalmente, a rã saltou do meu colo e saiu saltando pela grama afora, e desapareceu num matagal. E eu disse a mim mesmo que ela era a primeira coisa de que eu já sentira saudade em minha vida.
Charles Bukowski.  
Com cigarros e garotas, eu sou assim. Paro de fumar, fumando. Deixo de gostar, gostando.
Gabito Nunes. 
Eu quero fazer silêncio
Um silêncio tão doente
Do vizinho reclamar.
Chico Buarque. 
Nostalgia
Nós tal dia.
Mariana Andrade.
Num instante você me olha apaixonado e depois se vira pra janela ficando um pouco fora do ar. Nessa hora me belisco pra não saber do porquê, sem esquecer do dia você me falou que nem toda pergunta requer uma resposta. Mas então não fica assim, não precisa dizer nada, só não me deixe faltar aqueles abraços silenciosos pra calar a boca de quem me mandou ter calma contigo. Agora que eu me perdi, só preciso de você me dizendo que amanhã ainda vou te achar no mesmo lugar, se eu procurar. Eu te quero, na medida do impossível.
Gabito Nunes
Eu não odeio as pessoas. Eu me sinto melhor quando não estão por perto.
Charles Bukowski
Hoje em dia não vale a pena mostrar o nosso melhor lado pra maioria das pessoas. Algumas só abusam da nossa sensibilidade e honestidade pra conseguirem o que querem e depois dão no pé, não tão nem aí. A gente confia, se abre, permitimos que conheçam quem somos de verdade e sabe o que recebemos? Um belo par de costas indo embora.
Capitule. 
Te disseram que você deveria ser uma boa pessoa, e fazer o melhor com o pior que recebesse dos outros. Te ensinaram o significado do perdão, olhar os outros com compaixão, saber se colocar no lugar de outrem. Te pediram pra que sempre mantivesse o sorriso estampado no rosto e a cabeça erguida, independente da força com que a vida te batesse. Te disseram que o melhor remédio após uma queda é levantar-se, e provar que é forte pra continuar seguindo em frente, por mais terrível que seja o terreno. Mas esqueceram de dizer que as pessoas gostam de quem tudo perdoa, e erram sem pensar duas vezes, magoam como se nada fosse mudar. Esqueceram de dizer que você irá se desculpar muitas vezes durante a vida, e nem sempre irão aceitar seu pedido de perdão. Poderiam ter te falado que ser a melhor pessoa em qualquer situação, te colocará numa sarjeta fria e escura, até você preferir estar morto. Esqueceram de dizer que levantar-se às vezes é loucura, e o melhor a se fazer é poupar-se de esforços inúteis, colocar as mãos na nuca e observar a imensidão do céu. Esqueceram de dizer que as pessoas estão sempre de partida, não disseram sobre a miséria, sobre os suicídios e a causa deles. Não disseram que continuar sorrindo pode ser mais doloroso do que derrubar até a ultima lágrima. Só te fizeram acreditar que o mundo seria melhor caso você também fosse, e nunca é.
Sean Wilhelm.
Se alguém me tocar agora, eu inflamo. tô sensível. sentido. sentindo. morrendo em vida, mentindo. misturando bossa nova e rock’n’roll. tratando de ser água, vento, sol. pão de carne com gengibre e limão. tô plantando. colhendo. trinta vezes multidão. amando desconhecidos na manifestação. sonhei com um par de olhos vermelhos. inventei um caminho. baguncei o cabelo. dormi jogada no sofá da sala. minha vida é um vício e o hospício dos olhos alheios ainda me mata e a loucura das bocas que eu beijo ainda me salva.
nossos corpos são selvas.
nossa natureza é a farsa.
moscou, 1821   
Afogada na solidão que tanto temia.
butter, 1998. 
Ser feliz sem você é estranho, não da certo.
Lázaro.
Alguém uma vez me disse que uma hora eu iria cansar. Cansar de amar e sofrer, cansar de perdoar erros repetitivos, cansar de correr atrás, cansar de passar a mão na cabeça de quem não merece, cansar de ajudar e me prejudicar por pessoas que não fazem o mínimo por mim.. E esse alguém estava certo. Demorou bem mais do que devia, mas eu cansei.
Carpejar.  

tê-la é um sonho
no qual eu me afogo.